quarta-feira, abril 06, 2005

A música levantou e arranha em acordes sucessivos e que ondulamente se auto-repetem de novo e em sucessivo.
Como posso eu descrever este início de descarga de adrenalina que estou prestes a experienciar?
As guitarras arranham e continuam sem sinal de abrandar. O som orgásmico-apoteótico do arranjo ainda vai no seu quarto minuto, muito longe de terminar.
Até lá detenho-me em momentos que parecem de infinita lentidão, terrível e transbordante fúria, um climax de beleza sonora e emocional.

Haverá palavras para descrever?

Estilhaçamo-nos, explosão, eléctrica, ruídos intensos, o corpo perde-se no processo, guitarras dão o juízo final... fervo, desintegração (de todo o ego)

Tempestade psicoaudio
Ainda não acabou...



Para ouvir com acompanhamento sonoro
(Gybe, motherfucker-redeemer)

Sem comentários:

Enviar um comentário