quinta-feira, novembro 08, 2007

esta é po japonês
(nota: actuação registada, e bem, @accelerator Sweden)




Foi muito bom...

Quem teve o privilégio de assistir ao concerto foi presenteado com uma setlist muito bem construída que passou, muito bem, pelos três albuns da banda de um modo equilibrado, partindo claramente o falo do pobre cavalo.

o momento "pontapé na alma" [CoFactor et al] foi The Lighthouse aka a última do novo



(Esta é como os antibióticos: é pa tomar até ao fim. está um bocado tremida no início, mas o que importa mesmo é o som)

6 comentários:

  1. Gostava mesmo de ter estado convosco, desculpem-me lá rapazes, mas tive mesmo de ficar... coisas da vida.

    ResponderEliminar
  2. Bastardos sortudos... Mas obrigado na mesma!

    ResponderEliminar
  3. Os Interpol são básicos. Mas bons dentro do seu pH.

    ResponderEliminar
  4. Oh, não entres nessa... São grandes executantes. Lá por não desafiarem definições de estilo "à la" Radiohead não quer dizer que são básicos. O Antics foi mais do mesmo, é verdade, mas este é diferente com a amesma qualidade. Prova disso é que não gera unanimidade entre os fãs...

    ResponderEliminar
  5. Têm o seu estilo...acerca de executantes não concordo...foi isso mesmo que quis dizer...são básicos...nada de extremamente complexo...mas eu curto Interpol...mas é daquelas cenas que vai passar e não fica.

    ResponderEliminar
  6. para mim é dos nomes a reter dos anos 2000. se vai passar ou fica, depende dos próximos trabalhos.

    Ah e em relação ao Antics, passei a encará~lo de outro modo depois do concerto, resulta muito bem ao vivo, mesmo.

    ResponderEliminar